OMS DE PIRES NA MÃO: Trump diz que pode cortar definitivamente financiamento do puxadinho Chines


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse no final da noite de segunda-feira (18), que poderá cortar de forma permanente os fundos para a Organização Mundial de Saúde (OMS) – agora suspenso -, além da possível saída de seu país da agência.

– Se a OMS não se comprometer com melhorias substanciais significativas nos próximos 30 dias, tornarei minha suspensão temporária de fundos à OMS permanente e reconsiderarei nossa participação na agência – alertou Trump, em carta dirigida ao diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Leia também1 Por prevenção, Trump decide tomar hidroxicloroquina
2 EUA: OMS fracassou ao não evitar mortes no mundo
3 Covid-19: Trump ameaça cortar relações com a China


Na carta de quatro páginas, Trump anunciou que seu governo e Tedros “já começaram a discutir como reformar a organização”, mas acrescentou que “não há tempo a perder e que é necessário agir rapidamente”.

O presidente americano condenou o que considera ser “uma alarmante falta de independência da OMS em relação à China” e explicou que as reformas que Washington exige implicam uma dissociação em relação a Pequim.

– O único caminho a seguir para a OMS é se ela é realmente capaz de demonstrar independência da China – disse Trump na carta, que compila uma lista de queixas atribuídas a Pequim e a Tedros pelo gerenciamento da pandemia da Covid-19.

Em 14 de abril, Trump ordenou o congelamento dos fundos que os EUA, como principal doador, contribuem para a OMS enquanto reviam o papel da agência no que ele definiu como “má administração e encobrimento graves da expansão do novo coronavírus”.

Na carta dirigida à Tedros, Donald Trump concluiu esta “revisão”, com a qual os Estados Unidos “confirmaram muitos dos sérios problemas” que havia levantado.

*Com informações da Agência EFE

Postar um comentário

0 Comentários