O RISCO DO CAOS: Governadores "vão semear uma revolta popular" com isolamento, diz Guilherme Fiuza

Guilherme Fiuza. Reprodução: Google
O jornalista e escritor Guilherme Fiuza voltou a criticar a política de isolamento radical adotada em alguns estados como forma de combater a pandemia do novo coronavírus.

"Os níveis de isolamento estão em discussão no mundo todo, Nova York atestou contágio predominante em casa e a eficácia do lockdown total não é conclusiva nem p/a OMS", afirmou o escritor.

Fiuza é um crítico do modelo de quarentena empregado no Brasil. Em outra ocasião, ele afirmou que os governadores estão "atropelando as liberdades" da população, após uma série de cenas de repressão a pessoas desfrutando de área pública.

Para o jornalista, "se governantes brasileiros insistirem com medidas ditatoriais sem base científica vão semear uma revolta popular", destacou ele em sua conta no Twitter. Na sexta-feira (08), o governador de São Paulo, João Doria, anunciou mais uma prorrogação da quarentena no estado.

“Teremos que prorrogar a quarentena até o dia 31 de maio. Queremos, sim, em breve juntos poder anunciar a retomada gradual da economia como, aliás, está previsto no Plano São Paulo. A experiência de outros países, e nós temos utilizado essas experiências aqui, mostram claramente o colapso da saúde e, quando isso acontece, paralisa tudo”, disse Doria em coletiva na sexta.

Postar um comentário

0 Comentários