ESTÁ EXPLICADO; Indicado de Moro protegeria Moraes nas investigações contra o PCC

PT lava dinheiro do PCC? | O Cafezinho
A nomeação do presidente Bolsonaro à chefia geral da Polícia Federal não se refere apenas ao caso Adélio.

Refere-se à lavagem de dinheiro do PCC nos transportes coletivos da cidade de São Paulo.

Se Bolsonaro escolher um chefe geral honesto e desaparelhado para a Policia Federal, naturalmente todas as linhas de investigação paradas há mais de uma década sobre a lavagem de dinheiro do PCC nas cooperativas de ônibus, e que hoje em dia operam normalmente como se fossem empresas legalizadas, serão reabertas.

Estas investigações, uma vez reativadas, chegarão aos bilhões de reais já lavados pelo PT, PSDB, PCdoB, PR e PCC por intermédio do transporte coletivo da cidade de SP, além do que respingarão naquele que barrou a nomeação do Presidente da República à chefia geral da PF, ou seja, Alexandre de Moraes. Pois ele foi o Secretário de Transportes na gestão municipal de Gilberto Kassab. Nesta gestão explodiu um dos maiores escândalos de lavagem de dinheiro do PCC, no transporte coletivo de SP. Promotores de Justiça aparelhados pelo Foro de SP no Ministério Público de SP, das áreas de urbanismo, patrimônio público e até o GAECO, abafaram o escândalo.

Depois disso Alexandre de Moraes foi advogado da TRANSCOOPER, que é a principal cooperativa investigada pela lavagem de dinheiro do PCC, PT, PSDB, demais partidos de esquerda, e outras organizações criminosas.

Depois de Alexandre de Moraes ser nomeado Ministro do STF, o Ministerio Público de SP fez acordos de ajustamento de conduta com Fernando Haddad e as cooperativas (como a Transcooper). Ao invés de serem descredenciadas e os investigados punidos e presos, mudaram de nome e viraram empresas de fachada.

A Transcooper passou a se chamar Pêssego Transportes, a Novo Horizonte, também investigada por lavar dinheiro de policiais corruptos e do PCC, passou a se chamar Express Transportes, e várias outras cooperativas de SP mudaram de nome.

Todas elas continuam a lavar dinheiro do PCC, de policiais militares de alto escalão corruptos, a maioria ligados ao PSDB e DEM, e de partidos de esquerda.

Entende por que Alexandre de Moraes não quis que o Presidente Bolsonaro nomeasse o chefe geral da Polícia Federal?

Porque a segunda maior fonte de lavagem de dinheiro do PCC e do Foro de São Paulo corre sério risco de secar.

Por R. Freitas.

Postar um comentário

0 Comentários