MENSAGEIRO DO APOCALIPSE: Cremero exposto ao escárnio público



Caso fossem verdadeiros os números catastróficos previstos por um estudo de especialistas da Unir, para o Conselho Regional de Medicina, o Cremero, a entidade que reúne os médicos de Rondônia, estaríamos com parte da população de 1 milhão e 700 mil rondonienses caminhando para algo perto da extinção. Hoje, 22 era o dia "D".

Pelo estudo, mostrado com estardalhaço, já nesta quarta-feira teríamos 50 mil rondonienses com suspeita de estarem contaminados com o coronavírus e pelo menos (pasmem!) 25 mil casos confirmados.

Teríamos, pelo estudo tresloucado, HOJE, 22/05, nada menos do que 7.500 pessoas internadas (e não as menos de meia dúzia da vida real) e, mais assustador ainda haveria, não os cincos casos reais desta quarta feira, 22, mas sim 375 pacientes internados em UTIs. Neste caso, não se sabe onde, já que em todo o Estado existe atualmente menos de uma centena de centros de atendimento de urgência em hospitais.

O excêntrico, exagerado e assustador estudo vai mais longe: avisa que até 2 de maio, ou seja, daqui a 12 dias, Rondônia teria 500 mil casos (isso mesmo: meio milhão) de pessoas passíveis de contágio; 250 mil infectados; 75 mil pessoas internadas (não se sabe onde!) e, por fim, a soma da absurda e apavorante previsão: haveria, no início do mês que vem, 3.750 pessoas agonizando em UTIs.

O certo é o Conselho Regional de Medicina de Rondônia-CREMERO, presta relevantes serviços à população, embora que estudo despropositado, certamente abalou parte da população e expôs a Instituição ao escárnio popular.

Espera-se que seus dirigentes soltem nota explicando o balizamento que os "estudiosos" se escoram para divulgar tamanho disparate.

CLIQUE AQUI E VEJA A NOTICIA VEICULADA NO ÚLTIMO DIA 27/03


rondonoticias

Postar um comentário

0 Comentários