POLÍTICA DA BAIXARIA: Governador é vaiado e prefeito e deputado discutem em palanque; veja vídeo.

Resultado de imagem para Vídeo mostra bate-boca entre prefeito de São João de Meriti e deputado estadual durante evento com Witzel
O prefeito de São João de Meriti, Doutor João, bateu-boca com o deputado estadual Léo Vieira (PSC) durante a inauguração do Programa Segurança Presente na Baixada Fluminense. Um vídeo, que circula em redes sociais, mostra que a discussão começou após parte da plateia iniciar vaias contra o prefeito.

O governador do RJ, Wilson Witzel, estava presente no evento e tentou acalmar os ânimos dos participantes. Em entrevista ao G1, Doutor João afirmou que as vaias foram armadas e o grupo teria sido pago pelo deputado. Léo Vieira, por sua vez, negou a acusação e afirmou que "não é de seu perfil usar esses artifícios politicamente".

“Aquilo foi pouco para ser molecagem. Eles pagaram pessoas para vaiar no momento que o prefeito fosse falar. Foi tão armado que me colocaram como o primeiro a falar. Eles inverteram a ordem e me colocaram como primeiro. Esse grupo [ que vaiou o prefeito] foi pago pelo deputado Léo [Vieira]”, afirmou o prefeito.

“Pedi licença ao governador para sair do palanque. Como o governador achou que eu não deveria, eu chamei ele de safado. Aquilo não é coisa de político, de deputado. É coisa de moleque. Eu ajudei ele chegar no cargo dele de deputado. Ele tentou me desmoralizar na frente do governador e da população. Uma vaia paga por uma pessoa, é molecagem”, completou Doutor João.

O G1 também procurou o parlamentar para saber se as informações eram verdadeiras. Léo Vieira afirmou que “jamais faria isso”. Além disso, o deputado estadual disse que não teve ajuda alguma do prefeito para conquistar a vaga na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

“Eu jamais faria e usaria esses artifícios [pagar por vaias] politicamente. Tenho respeito e ética pelos meus adversários. Eu realmente lamento pelas vaias, não é do meu perfil. As pessoas que trabalham comigo sabem do meu perfil. Eu estava acompanhado do meu pai, da minha mãe, esposa, filho e amigos. Não tinha ninguém pago ao meu lado. Eu não faria isso nem de graça e nem mesmo pago”, afirmou o deputado estadual.

“Eu realmente tinha uma relação boa quando ele era prefeito e eu vereador. Com relação ele ter me ajudado para deputado, não é verdade. Eu não era tão ligado ao governo, tinha uma certa independência. Mas tentava contribuir para ajudar e para que o governo funcionasse. A vaia foi uma rejeição dele, foi uma coisa natural. Não tem nada a ver comigo”, completou o parlamentar.

Nas imagens, Doutor João diz que Léo Vieira é "safado" e que atitude foi uma "molecagem". Deputado diz em vídeo que "jamais faria isso".

'Política suja e maquiavélica', diz prefeito a deputado

O prefeito de São João de Meriti afirmou ainda que a atitude de Léo Vieira foi “suja” e “maquiavélica” por pretender uma disputa nas próximas eleições municipais. Segundo Doutor João, não há mais qualquer tipo de relação entre as partes.

“Não reclamo de ele ser candidato a prefeito, é um direito democrático. Eu acho que tem que ser, isso é democracia. Mas isso não se faz, ele tentou me humilhar. Ele deve ser candidato a prefeito, mas não pode ter essa política suja e maquiavélica”, disse o prefeito.

O deputado, no entanto, afirmou que não está fechado para conversas.

“Eu não corto relações com ninguém. A cidade não pode pagar por isso. As pessoas que votaram em mim ou qualquer outra pessoa não pode pagar por uma disputa política. Eu não faço política com fígado, eu faço política saudável”, rebateu.

Postar um comentário

0 Comentários