DESNATURADA: Mãe mata as próprias filhas por “atrapalharem” a sua vida sexual


Louise Porton, uma jovem mãe de 23 anos, tirou a vida às filhas por estas “atrapalharem a sua vida sexual”. As meninas, Lexi, de 3 anos, e Scarlett, de 16 meses, foram sufocadas pela própria mãe, em Rugby, Inglaterra.

A jovem sentia que as meninas atrapalhavam a sua vida sexual e, por isso, decidiu tirar-lhes a vida. O tribunal em Birmingham, Inglaterra, ordenou que a mãe cumpra, no mínimo, 32 anos de prisão efetiva.

De acordo com a informação avançada pelo jornal britânico The Mirror, Louise sufocou e estrangulou as meninas, antes de ligar para o número de emergência local. Assim que os meios de socorro chegaram ao local, estranharam o facto de a jovem não se apresentar muito preocupada com as filhas.

Algum tempo mais tempo, já quando as autoridades investigavam a morte das crianças, soube-se que a mulher tinha aceite 41 pedidos 
de amizade numa aplicação de relacionamentos no dia seguinte à morte das meninas.

O julgamento da jovem de 23 anos durou cinco semanas. Foi condenada a prisão perpétua, com um mínimo de 32 anos de prisão efetivamente cumprida.

Em tribunal a juíza referiu que as meninas “eram crianças sem culpa nenhuma, claramente vulneráveis, e deviam ter podido confiar na mãe para as proteger e criar”. Em vez disso, continuou a juíza, “a senhora tirou-lhes a vida”.

bombeiros24

Postar um comentário

0 Comentários