NOVO TRATAMENTO: Baratas e escorpiões fazem parte da UTI de hospital público

Toninho Tavares/Agência Brasília
Uma infestação de baratas e escorpiões tem assustado pacientes e servidores da pediatria do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). Os animais estão colocando em risco, inclusive, a saúde dos bebês internados. A barata é um dos alimentos preferidos dos aracnídeos e, segundo biólogos, a existência de um sinaliza a presença do outro.

Documento obtido pelo Metrópoles revela que os funcionários solicitaram dedetização emergencial na unidade para evitar o risco de contato com as crianças atendidas no local. “Venho, por meio deste, solicitar dedetização com urgência na unidade de pediatria, pois estamos tendo aparecimento de escorpião e uma infestação de baratas que chegaram até subir no berço das crianças”, registra uma supervisora de enfermagem. O documento é datado do dia 26 de dezembro (veja abaixo).

Com a aprovação da Câmara Legislativa (CLDF), o Hospital de Santa Maria e outras unidades do DF passaram a ser geridos pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF). Procurada pela reportagem, a entidade informou que a última dedetização foi realizada no local no dia 9 de novembro e, em tese, teria validade até fevereiro de 2020.

Após os alertas da equipe da unidade, uma dedetização emergencial será realizada já na manhã desta terça-feira (31/12/2019) “a fim de que o problema seja sanado”. “O Iges-DF ressalta sua preocupação com a excelência dos serviços prestados em todas as suas unidades e reafirma seu compromisso com uma saúde pública de qualidade no Distrito Federal”, afirmou o instituto em nota encaminhada à coluna.

Óbito

Os casos de aparições de baratas e escorpiões são recorrentes no Distrito Federal. No mês de junho de 2019, uma criança de 4 anos levou uma picada de escorpião enquanto dormia. Apesar de ter sido levado pelos pais ao hospital, o menino não resistiu ao veneno, que afetou pulmão e coração.

Ele foi picado durante a madrugada, em casa, na QNF 20 de Taguatinga. Apesar de ter sido medicado no Hospital Regional da cidade (HRT), faleceu no mesmo dia por volta das 17h40.

No dia em que sofreu a picada do animal venenoso, o garotinho acordou chorando. Ele foi socorrido logo após o pai matar o escorpião.

Em outubro de 2018, uma mulher de 56 anos foi picada por um escorpião dentro do Hospital de Base. Liane Palha Kruel acompanhava a mãe no pronto-socorro da cardiologia e o animal estava no chão da unidade quando a atacou. Ela foi tratada na própria unidade hospitalar.
Sintomas

A picada de escorpião causa sintomas como vermelhidão, inchaço e dor no local. Em algumas situações, no entanto, podem ser mais graves, provocando enjoos, vômitos, dor de cabeça, espasmos musculares e queda da pressão, havendo até risco de morte.

A Vigilância Ambiental é responsável por promover ações de controle e prevenção no Distrito Federal. Caso seja constatada presença de escorpião dentro de residência, o serviço pode ser acionado pela população por meio dos seguintes números: (61) 2017-1343 ou 160.

Postar um comentário

0 Comentários