BANDIDA: Mãe mata filha asfixiada irritada com o choro da criança

A mulher tinha outra filha de um ano
Uma mulher matou a própria filha de dois anos e sete meses asfixiada, no Vale do Jequitinhonha, Capelinha (MG). Em primeiro relato a polícia, a mãe disse que a filha havia se engasgado com a mamadeira, mas em revista pelo local, policiais encontraram pedaços de fita Durex com fios de cabelo semelhantes ao da criança. Após a descoberta, a mulher confessou o crime.

À polícia, a mãe disse que se irritou com o choro da filha, colocou uma meia na boca da criança e a amarrou com fita adesiva. Em seguida, alegou ter ido comprar mais fita adesiva, e quando voltou já encontrou a criança morta. A suspeita ainda colocou a menina no chuveiro, realizou nebulização e massagem cardíaca, mas sem sucesso.

A mulher também confessou que pensou em matar sua outra filha de um ano de idade e se suicidar.

Em seguida, ela foi encaminhada para uma unidade do sistema prisional. O corpo da criança passou por necrópsia no Instituto Médico-Legal (IML) e já foi liberado para a família. A outra filha, está sob a guarda do Conselho Tutelar.

Motivação

Segundo uma testemunha, a mãe se envolveu com um homem casado de cerca de 50 anos, com quem teve duas crianças. No entanto, em dezembro de 2017, o homem resolveu romper o relacionamento com a amante, fato que teria a deixado com raiva.

“Ouvi um relato de que ela já chegou a quebrar coisas da casa”, disse a fonte, que também afirmou que a jovem não aceitava o fim do relacionamento com o pai das crianças e que vivia importunando a família.

Ainda segundo a testemunha, há aproximadamente um mês, a mulher fez um acordo com o pai da criança para ele pagar pensão.

À polícia, a mãe que matou a filha contou que fazia tratamento psicológico, e que sofria pressão psicológica do marido.

Polícia Civil acompanha o caso


A Polícia Militar informou na manhã desta terça-feira (26) que uma equipe de investigadores da Polícia Civil passou a acompanhar o caso in loco desde a comunicação da morte em situação suspeita.

Postar um comentário

0 Comentários