SOCORRO: Empresa que venceu licitação em Rondônia é denunciada por falsificar documentos



Em maio deste ano o Jornal Olhar Direto, do Mato Grosso fez uma grave denúncia envolvendo a empresa Neomed Atendimento Hospitalar Ltda, confirmada pela Superintendência de Licitações de Rondônia como vencedora de processo licitatório para contratação de serviços de Neurologia Hospitalar, Ambulatorial, Clínica e Pediátrica para hospitais no Estado. A Neomed foi acusada de usar documento falso, adquirido de maneira desonesta junto a Empresa Cuidados Médicos Intensivos Especializados. Trata-se de Atestado de Capacidade Técnica anexado também na licitação em Rondônia para comprovar a aptidão da empresa.

No Estado do Mato Grosso, segundo a publicação jornalística, a Neomed teria usado o documento para participar de licitação para prestação de serviços no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ela não teria a certificação correta para realizar o atendimento. “A empresa teria, em tese, falsificado um documento utilizado na primeira licitação, que mostraria que ela estaria apta a fornecer os serviços contratados pelo Estado. O atestado apresentado foi contestado pela Só Trauma, que informou que a empresa nunca havia prestado serviços de plantão na unidade de pronto atendimento”. CLIQUE AQUI E VEJA A DENÚNCIA.

O problema é que a Uti Sotrauma (Cuidados Médicos Intensivos Especializados) não emitiu um atestado para ser usado em concorrências públicas. Atendendo pedido do dono da Neomed, médico César Augusto Androlage de Almeida Filho, a empresa assinou um documento, mas César Augusto Androlage garantiu que o usaria apenas para seu currículo, uma vez que precisava prestar serviços. O médico então usou o papel nas concorrências no Mato Grosso e Rondônia, atestando genericamente 2.461 horas mensais de trabalho. Ele foi desmentido publicamente como comprova o documento nesta matéria.

A história verdadeira foi contada pelo médico Caio Velloso Nunes e por seu sócio Henrique Bom Despacho Dantas Borges. De fato, César Augusto Androlage prestou serviços para a Uti Sotrauma, mas não da forma como o documento informava.

O caso aconteceu em junho de 2018, quando o dono da Neomed procurou o médico Caio Velloso, pedindo o tal atestado sobre os serviços prestados por ele. Ele garantiu que seria apenas utilizado como currículo, uma vez que queria expandir seus serviços para outras cidades. Caio Velloso não viu problemas em repassar o documento, mas disse que um outro sócio deveria assinar também. César Augusto Androlage pressionou e acabou convencendo o então amigo.

O médico Caio Velloso Nunes narra em um documento que somente em março desse ano tomou conhecimento de que o atestado estava sendo usado em licitação e a empresa se manifestou.
Nos esclarecimentos, é explicado que os atendimentos realizados pelo médico sempre foram internos e nunca em plantões abertos, como de pronto-socorro. Bem diferente das 2.461 horas que se imaginava que a empresa prestava por mês, houve a comprovação que o único médico da Neomed trabalhava apenas 60 horas por mês. “O doutor César Androlage, através da empresa Neomed sempre prestou serviços de maneira unipessoal com plantões cumpridos de quarta para quinta-feira, no período noturno, de 12 horas, totalizando em média 60 horas mensais”. E finaliza o documento. “Assim, apresentamos nossas escusas em relação às inconsistências atestadas pela nossa empresa no referido Atestado de Capacidade Técnica, que, de boa-fé, em atendimento a um pedido de um colega médico feito ao Dr. Carlos Velloso, que até então nada tinha que o desabonasse, alegando que o referido documento seria utilizado para fins de Curriculum, colocando-nos a disposição para quaisquer outros esclarecimentos”, afirmou.

Em Rondônia, esse mesmo documento foi anexado no processo licitatório para atestar que a Neomed está capacitada para a execução dos serviços de Neurologia.











rondoniagora

Postar um comentário

0 Comentários