AQUI NÃO CARA PÁLIDA!: Índios destroem equipamentos e descem o cacete em madeireiros; veja imagens


Índios da Amazônia destroem equipamentos e castigam Madeireiros ilegais. Parabéns aos verdadeiros defensores da Amazonia, veja as fotos. Sao guerreiros mundurucus realizaram nos últimos dias uma expedição a pé de cerca de 100 km expulsar madeireiros e palmiteiros da Terra Indígena (TI) Sawré Muybu, no sudoeste do Pará.

Segundo comunicado dos mundurucus, a expedição encontrou diversos madeireiros, a quem deram um prazo de três dias para saírem do território.”Ficamos muito revoltados por ver as nossas árvores derrubadas e as nossas castanheiras como tora de madeira em cima de um caminhão. E sabemos que, quando retiram madeira, vão querer transformar nossa terra em um grande pasto para criar gado.”

“Nós estávamos armados com nossos cânticos, nossa pintura, nossas flechas e a sabedoria dos nossos antepassados. E, com muita pressão, eles passaram a madrugada toda retirando 11 máquinas pesadas, 2 caminhões, 1 quadriciclo, 1 balsa e 8 motos. Todos sem placa. Na retomada, andamos 26 km vigiando os ramais [estradas] que os madeireiros fizeram no nosso território e bebendo água suja do rio Jamanxim.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Acho justo o índio proteger suas terras, forçando a saída dos invasores. Mas a forma como está retratado a cena me trás uma reflexão, pois na primeira imagem aparece um caminhão queimado, na sequência índios armados com armas de fogo e em outra o índio batendo em um homem que está amarrado com as mãos pra trás. Se fosse um policial batendo em alguém algemado com certeza responderia pelo crime de tortura, se queimasse o caminhão muitos condenariam sua ação. Fazendo uma análise de forma mais holística, considero que existe muitas contradições... O índio pode "descer o cacete" na pessoa que já está presa, amarrado com as mãos pra trás, um ato sujeito a ser qualificado como um crime tortura perante o código penal brasileiro, se cometido por um não índio, pode andar armado com arma de fogo. No meu ponto de vista, a contradição está explicitada na chamada da matéria veicula, que observo que reflete o pensamento comum de muitos, fazendo chacota de quem está amarrado, apanhado e perdendo seus bens queimados, mas se é um índio fazendo, pode "descer o cacete" que infrator ambiental não passa para o estado de ser vítima...
    Então, vejo que se for um agente público fazendo o uso da força outorgado pelo Estado, ou até um cidadão comum defendendo sua propriedade com o uso da força, não pode, pois o cidadão comum não pode ter arma pra se defender ou para defender sua propriedade, mas se for um índio fazendo, pode "descer o cacete", que aí não tem direitos humanos de quem está apanhando. Por menos hipocrisia no mundo que possamos refletir com coerência.

    ResponderExcluir