ISSO É BRASIL: Produtor de queijo se mata ao ter sua produção apreendida pelo estado

Resultado de imagem para Produtor de queijos se mata depois de ter toda sua produção apreendida pelo estado
Em mais um caso onde o estado atrapalhou a vida de um empreendedor que gerava emprego e renda, levando ao mesmo trágico fim do empresário de Rio Claro, um produtor de queijos se matou em Edealina – GO após a fiscalização estatal apreender sua produção de queijo mussarela. O homem teria se desesperado com o prejuízo que estava sofrendo, em torno de 40 mil reais, fora multas.

Tudo aconteceu quando os fiscais da Vigilância Sanitária do Estado de Goiás foram até o pequeno laticínio do Sr. João Machado, conhecido na cidade como João da Queijeira, e o por “falta de documentação” informaram ao proprietário que fariam a apreensão de toda a produção de queijo.

João Machado não se conformou com a situação e num ato de desespero, enquanto os fiscais carregavam o produto apreendido numa caminhonete, pendurou-se pelo pescoço em uma corda e jogou-se dentro de uma cisterna. A corda se rompeu e ele acabou caindo dentro da cisterna, falecendo na hora.

É triste ver brasileiros que batalham e lutam por gerar produtos que atendam à população sendo perseguidos pelo estado e levados a atos desesperados quando deveriam ser livres para produzir, trabalhar, gerar empregos e melhorar a vida de milhares de pessoas.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. É triste mesmo... ver a imprensa ser tão parcial ao noticiar uma coisa tão séria com o intuito de denigrir a imagem da fiscalização com um texto que induz pessoas leigas a odiar quem aplica as leis...

    ResponderExcluir
  2. Donato mix a policia aprende a mercadoria de uma forma irregular, nas fotos se observa que os queijos estão sendo transportado em caminhonete sem refrigeração ou seja mesmo se ele conseguisse a documentação necessária todos esses produtos seria improprio para uso. uma outra questão e que eles estão apreendendo os produtos por falta de documentos do produtor não por falta de higiene. O estado também MATA.

    ResponderExcluir