NA UPA A MORTE TEM COR: Pai de criança na fila da UPA diz que ficha verde é a cor da morte; vídeo



O sofrimento da comunidade que busca socorro médico nas duas Unidades de Pronto Atendimento – UPA, em Porto Velho, uma localizada na zona Sul e outra na zona Leste, já parece ter se tornado rotina.

No início da tarde desta segunda-feira (15), dezenas de pacientes que buscaram a UPA da zona Leste estavam indignados pela demora no atendimento para aqueles classificados como ficha verde. São os pacientes que estão sentindo dores, mal estar, porém sem um risco visível. Em alguns casos, essas pessoas chegaram há esperar cinco horas para o atendimento.

O repórter William Ferreira “Homem do Tempo” foi até o local e conversou com a comunidade que necessitava do atendimento. Um pai que estava com sua filha aguardando por hora para ser consultada por um médico, desabafou e afirmou que a ficha verde deveria ser chamada de “ficha da morte”.

No infográfico disponibilizado pela prefeitura de Porto Velho a fila de espera dos pacientes ficha verde estava registrando uma fila de 83 pessoas. A situação é problemática, uma vez que os médicos plantonistas direcionam a atenção para os casos de maior complexidade.

Esse déficit no atendimento acaba pesando para o Governo do Estado, já que grande parte dessas pessoas desiste de esperar tanto tempo e acabam procurando socorro nos Hospitais Cosme e Damião ou João Paulo II. Esses dois são unidades especializadas em atendimentos médicos de complexidade alta.




rondoniaovivo/Wiliam Ferreira

Postar um comentário

0 Comentários