CHÁ DE SUMIÇO: Desaparecimento do prefeito motiva especulações de doença e reeleição

Desde 1º de abril, data marcada para o inicio do ano letivo nas escolas de comunidades rurais e ribeirinhas em Porto Velho, fato que não ocorreu em sua integralidade, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) anda desaparecido, ele não é visto nem em suas conhecidas “lives” no Facebook, não prestou nenhuma declaração sobre a crise do transporte escolar, muito menos se posicionou de forma pessoal com a população da Ponta do Abunã, que bloqueia a BR-364 a mais de 48 horas em protesto a esse problema.

VEJA MAIS:

TENSÃO: BR-364 está fechada há mais de 40 horas e comboio segue para cumprir Mandado Judicial

Na última semana, o prefeito de Porto Velho seguiu justamente na segunda (1) para Brasília, retornou apenas no final da semana, sua viagem seria para buscar recursos através do Executivo Federal. Não foi divulgado nenhum resultado dessa diligência do prefeito ao Distrito Federal.

Na semana seguinte em Brasília aconteceu a Marcha dos Prefeitos, oportunidade dos gestores municipais do país inteiro se aproximarem das bancadas federais de seus estados no Congresso Nacional, reuniões e encontros necessários, porém, nessa agenda Hildon Chaves não compareceu, deixando a cadeira de Porto Velho vazia no evento.

O “chá de sumiço” do prefeito é tão intenso que passaram a cogitar problemas de saúde, boatos nas redes sociais levantaram a hipótese de que ele estaria internado após sofrer de um mal súbito. Em contato com a assessoria do prefeito, a reportagem foi informada que ele apenas realizou um check-up de rotina e seu estado de saúde é pleno.

Com tudo isso, há quem diga que Hildon é nome certo do PSDB no pleito de 2019 na busca de mais um mandato. Pesquisas divulgadas no ano passado indicaram que grande parte da população está insatisfeita com Chaves, fato que poderá o levar á um vexame nas urnas inversamente mensurável ao seu sucesso na última eleição.

rondoniaovivo

Postar um comentário

0 Comentários