CASO DE POLÍCIA: Mais uma professora é agredida por mãe de aluno, até quando?

A diretoria do Sintero, preocupada com o crescimento do índice de violência nas escolas públicas de Rondônia, denuncia mais um caso de agressão a professores.

Dessa vez a vítima foi uma professora da Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Sossego da Mamãe, de Itapuã do Oeste, RO, que foi agredida fisicamente pela mãe de um aluno no último dia 27 de março.

De acordo com a professora, o aluno de 7 anos estava atrapalhando o andamento da aula e para evitar prejuízos ao restante da turma, solicitou que ele se retirasse. Ao chegar em casa, a criança disse aos pais que teria sido agredido pela professora em sala de aula.

No mesmo dia os pais foram até a escola para tirar satisfação com a educadora. Entretanto, ela negou que tivesse agredido o aluno. Tomado pela fúria, o pai da criança agrediu a professora verbalmente, e incentivou a mãe a agredi-la fisicamente. A professora levou tapas e puxões de cabelo.

Imediatamente a polícia foi acionada e registrou a ocorrência. O Conselho Tutelar também foi acionado para realizar os procedimentos com relação à criança. Os adultos foram levados para a central de flagrantes em Porto Velho. Diante da situação a professora está com medo de voltar ao trabalho e teme por sua integridade física.

Ao tomar conhecimento do caso, o Sintero enviou uma comissão à escola para colher informações e prestar assistência à professora e aos demais trabalhadores em educação. Participaram dessa comissão a secretária de Gênero e Etnia Rosenilda Ferreira de Souza Silva e os diretores da Regional Norte Cleusa Ferreira Mendes e Neilton do Vale Vidal.

A presidente do Sintero, Lionilda Simão, vem reiterando as denúncias de aumento da violência nas escolas, e disse que os profissionais da educação agora trabalham com medo. Ela considera que o Governo do Estado e as Prefeituras precisam tomar providências para garantir a segurança de trabalhadores em educação e alunos nas escolas.

"Pedimos que o Estado de Rondônia tome providências. Os trabalhadores em educação estão sendo tomados pelo medo e sofrendo com tanta impunidade. A sociedade não está vendo nenhuma providência para cessar essa situação", disse Lionilda Simão, Presidente do Sintero.

rondoniagora

Postar um comentário

0 Comentários