AVENTURA NA AMAZÔNIA: Empresário de Jaru, RO, encara BR 319 de Manaus a Porto Velho em moto Biz; veja imagens



O empresário jaruense Genivaldo de Oliveira Dias da Nikita Moto Peças realizou uma grande e perigosa aventura, viajou sozinho de Manaus no Amazonas a Jaru em uma motoneta Honda Biz 125.

Nikita, como é popularmente conhecido, foi de avião a Manaus, onde comprou algumas motocicletas em um leilão e resolveu retornar de Biz, uma viagem de 1.180 quilômetros pela BR-319, boa parte estrada de chão e com muitos atoleiros.

O aventureiro saiu na última quarta-feira (17) de Manaus de balsa até Careiro Castanho, distante 124 quilômetros, onde dormiu, pois não quis fazer o percurso de 150 quilômetros até a Comunidade de Igapó Açu/AM à noite, mas saiu às 3 horas da madrugada, pois a balsa saía às 6 horas, tendo ele chegado às 5h30. Ele seguiu viagem novamente e chegou em Humaitá/AM às 17h40.

O empresário disse que um dos maiores problemas que encontrou nesse trajeto foram os atoleiros e como a Biz era baixa, em alguns pontos críticos tinha que retirar a mala que transportava na garupa, para não pesar muito, e levantar a motoneta para sair da lama, mas como o barro era mole, acabava afundando os sapatos.

Além da bagagem, Nikita teve que levar na viagem 12 litros de gasolina em galões, pois em alguns trechos longos não havia pontos de abastecimentos.

Um dos problemas que teve que enfrentar foi ao sair da BR cerca de 6 quilômetros para abastecer a moto em Humaitá, quando ia saindo do posto foi avisado que o pneu estava furado. Ele mesmo retirou a roda da moto para agilizar o serviço, mas deu graças a Deus por ter furado naquele local onde havia borracharia. Ele saiu de Humaitá por volta das 19 horas e chegou em Porto Velho às 21h30 da quinta-feira (18) e saiu na manhã desta sexta-feira (19) para Jaru, um trajeto de 290 quilômetros.

Nikita, que já havia realizado outras viagens de logas distâncias, porém em motocicletas mais potentes, declarou que aconselha a quem deseja repetir a sua aventura, principalmente nesse período de chuvas onde as estradas estão em péssimas condições de trafegabilidade, que arrume pelo menos três companheiros e que tenha bom preparo físico, além de viajar com uma moto toda revisada e levar mantimentos e água mineral, pois já não há pontos de venda em alguns trechos.

Fonte: Anoticiamais


Postar um comentário

0 Comentários