DESCOBRIU A PÓLVORA: Secretário que tinha a solução para o JP II agora culpa a prefeitura




A entrevista ao programa Conexão Rondoniaovivo, desta terça-feira(26), do secretário estadual de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo, afirmou que os problemas relacionados à alta demanda nos hospitais estaduais, em especial ao João Paulo II, em Porto Velho é um problema genuinamente de responsabilidade da prefeitura da capital.

Segundo Máximo, unidades como João Paulo II e Cosme e Damião, não deveriam atender pacientes de baixa complexidade, porém, em decorrência da incapacidade de gestão do setor de Saúde pela prefeitura de Porto Velho, a comunidade procura esse locais no momento em que precisa de atendimento emergencial.

“Porto Velho é o problema do João Paulo II. A maior parte da superlotação do hospital João Paulo é de pacientes que não deveriam estar lá. Realizamos esse atendimento porque as pessoas batem na porta da prefeitura e não são atendidas. Aí vão para o Cosme e Damião. Hoje 80% dos pacientes do JP II são da capital, e desses, 60% não era para ser atendido lá”, afirmou Fernando Máximo.

O secretário disse ainda que todas as alternativas estão sendo analisadas pelo Governo do Estado, inclusive utilizar o espaço antigo da Assembleia Legislativa ou do extinto hotel cinco estrelas Vila Rica.

“Peço que façam uma oração por mim, pois tem muita gente querendo desestabilizar nosso governo, mas estamos trabalhando com empenho. Não consigo resolver tudo da noite para o dia, mas ao longo do tempo as coisas vão melhorando”, finalizou Fernando Máximo.

Assista a entrevist
-42:40
Abrir em uma nova guia
a


 O programa Conexão Rondoniaovivo é transmitido de segunda à sexta ao vivo pela página do Rondoniaovivo no Facebook.

Postar um comentário

0 Comentários