DÉCADAS DE SOFRIMENTO: Estrada do Belmont um caso a ser estudado pela NASA; vídeo

Porto Velho, RO  - A cheia do Rio Madeira já deixou atingiu várias pessoas tanto na área urbana quanto nos distritos e localidades de Porto Velho. Os moradores que utilizam a Estrada do Belmont vêm sofrendo há anos com o descaso da via, seja com a buraqueira na época de seca ou muita lama no período chuvoso. Neste ano, o problema está maior.

Com o transbordamento, a água invadiu a pista e prejudica o trânsito e a passagem de pedestres no local. Nas últimas 96 horas, o nível do rio tem oscilado entre 17,30 metros e, nesta quarta-feira (13), recuou e está em 17,18 metros, segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA). Na segunda-feira, o Rondoniagora esteve na Estrada do Belmont e registrou em vídeo a situação.

A Estrada do Belmont é a única via de acesso a muitos portos, onde caminhoneiros carregam e descarregam mercadorias, inclusive combustível para abastecer diversas cidades e também o estado do Acre. Sem pavimentação em grande parte da via e com o trecho inundado, a Defesa Civil, em parceria com Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação (Suop) e autorização da Infraero, teve que abrir uma rota alternativa para a passagem de moradores da comunidade da Jocum e da Estrada do Belmont, que estavam isolados.

Já para os motoristas, é preciso redobrar a atenção para transitar pelo trecho alagado. Pois a água esconde e pode abrir novos buracos. Alguns motoristas de carretas, veículos pequenos e até mesmo ciclistas ainda se arriscam a passar pelo trecho alagado, mas outros preferem não arriscar e voltam ao avistar a alagação.

Na região, o pátio de algumas empresas instaladas foi invadido pela água do rio e em outros pontos a água já se aproxima.

Ainda no Bairro Nacional, na Avenida Farquhar, o transbordamento de um canal levou água para a pista, nas proximidades da Avenida Migrantes.

A cheia do Rio Madeira já atingiu mais de 800 pessoas, segundo a Defesa Civil estadual.

rondoniagora

Postar um comentário

0 Comentários