HISTÓRIAS DOS CARNAVAIS: O ano em que o Brasil teve dois carnavais

Quem dera houvesse dois carnavais por ano. E já houve, em pelo menos um ano, em 1912. Barão do Rio Branco, ministro das Relações Exteriores, morreu em 10 de fevereiro, e o então presidente Hermes da Fonseca decretou luto em todo o Brasil.  

Avaliando que o País estava fora de clima para curtir a folia, Fonseca assinou um decreto adiando o carnaval de 1912 de fevereiro para abril. Nesse período, conforme imaginava o presidente, o brasileiro estaria recuperado da perda do ministro e apto para a folia novamente.

Como estava mal assessorado o presidente. Os foliões ignoraram o decreto presidencial e mantiveram a festa nas ruas, mesmo sem patrocínio do Estadoe sem os grandes desfiles.  

Como Hermes da Fonseca estava com a popularidade baixa naquele ano de 1912, ele teve de manter a palavra e o carnaval de abril foi mantido. Jornais descreveram ruas lotadas e alegria como se nunca tivesse havido luto no País.  

Marchinha

O jornal carioca 'A Noite' além e publicou uma marchinha carnavalescabastante provocativa: "Com a morte do barão/Tivemos dois carnavá/Ai que bom, ai que gostoso/Se morresse o marechá.”
Deixar o período de Carnaval passar era inviável para o folião brasileiro, e o barão acabou ganhando outras homenagens, como a nomeação da capital do Acre.

diariodonordeste

Postar um comentário

0 Comentários