O chofer sumiu, Empoderamento, Faltou o Garçom, Fernando Máximo de Carona, Acir o intruso, O Beijo


ENQUANTO ISSO: Amarrem os cadarços que o chofer vazou

Logo após assinar o termo de posse e jurar cumprir o que determina a Constituição Estadual e sem empossar os membros do primeiro escalão (secretários), o governador Marcos Rocha pegou a trouxa e caiu no trecho rumo a Brasília para participar da posse do capitão da reserva Jair Messias Bolsonaro na Presidência da República.
Enquanto o novo inquilino do palácio Rio Madeira estiver ausente o estado está à deriva. Sem governador e sem secretários. A casa da mãe Joana é mais organizada.

EMPODERAMENTO


A quebra do protocolo na transmissão de cargo de governador em Rondônia foi o destaque e que passou despercebido por parte da imprensa e do público presente ao Teatro Palácio das Artes. Quem deveria passar a faixa era o governador Daniel Pereira e não a primeira dama.



SIMBOLO

A faixa governamental é o símbolo máximo da autoridade maior do estado, usada nas transmissões de cargos e em ocasiões especiais pelo mandatário. Por essa simbologia deve ser entregue por uma autoridade, no caso o governador que está eixando o cargo e não por primeira dama, mesmo porque primeira dama não é uma autoridade constituída. A simbologia do cargo de primeira dama não lhe confere tal poder.


CARONA
  
Com o argumento de que a viagem junto com governador Marcos Rocha à Brasília não se limitava a posse do presidente Bolsonaro, e sim tratar de problemas relativo a pasta o futuro secretário da saúde (ainda não foi nomeado), Fernando Máximo, dificilmente nesses dois primeiros dias conseguirá ser recebido por algum ministro ligados ao problema.



AUSÊNCIA

Uma ausência sentida principalmente pelos rondoniense foi do ainda deputado federal Lindomar Garçom. Conhecido como papagaio de pirata, não deve ter sido fácil para o despejado assistir pela TV uma festa que em tempos não tão remotos era protagonista. Mas para não frustra os fãs do quase ex-deputado o Mateus Andrade deu uma forcinha.



INTRUSO

A coluna Radar da revista Veja destaca: Um condenado pelo Supremo Tribunal Federal pisando no tapete vermelho na posse do presidente Jair Bolsonaro. Trata-se do senador pelo PDT de Rondônia, Acir Gurgacz.


QUEBRA DE PROTOCOLO

Tudo já foi dito, mostrado e escrito da cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro. Nunca é demais lembrar da atitude da primeira dama Michelle Bolsonaro em discursar através da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), o inusitado ficou por conta do beijo entre primeira dama e o presidente. O discurso em LIBRAS acompanhando a leitura de uma assistente com certeza foi prepara com antecedência, o beijo não. O beijo foi atendendo ao pedido dos mais de cem mil brasileiros que estavam na praça dos Três Poderes. Beija, Beija, Beija gritava a massa



Postar um comentário

0 Comentários