Estado ficou sem comando, Primeira Dama autoridade zero, Olinda x Luana, IÍndio quer Biticoin, Pá de cal e Jaboticaba


COMEÇOU MAU

Já comentei em colunas passadas a atitude do coronel governador em deixar o estado à deriva viajando logo depois da posse sem sequer empossar seu secretariado. Enquanto esteve em Brasília o estado ficou sem comando, a máquina pública quase parada, funcionando apenas alguns órgãos essenciais como: hospitais e setores da segurança.

AUTORIDADE ZERO

Depois de quebrar o protocolo se arvorando de autoridade ao tomar a prerrogativa do governador que deixava o cargo, Daniel Pereira, colocando a faixa no seu marido-governador, a primeira dama, cargo simbólico, pegou carona no avião com destino a Brasília para assistir à posse do capitão-presidente Jair Messias Bolsonaro.

ABUSO

Segundo o site OOBSERVADOR, a viagem dos pombinhos custou mais de R$ 11 mil que será custeada pelo contribuinte. Além das despesas de viagem tem a ilegalidade do ato. Ainda segundo o site a primeira-dama usou indevidamente diárias já que ainda não tinha sido empossada como secretária naquela oportunidade.

OLINDA X LUANA

Ao contrário da Sra. Olinda Bolsonaro que viajou para a posse do filho-presidente de voo comercial a primeira-dama de Rondônia foi na carona do marido-governador de jatinho. Um belo cartão de apresentação.

TEMPO AO TEMPO

Não vou fazer juízo de valores nem exercício de futurologia sobre a lista com os nomes do primeiro escalão do governo do coronel Marcos Rocha. Alguns neófitos, outros com a vaidade a flor da pele, mas quem sabe nos primeiros 100 dias o governador enquadre todos eles e então voltaremos ao assunto.

BITICOIN

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que também vai administrar a Funai já tem um problema para resolver com os silvícolas; a criação de uma moeda digital. Índio não quer apito, Índio quer críptomoeda indígena.

PÁ DE CAL

Se ainda faltava alguma coisa para sinalizar com o fim do Ministério do Trabalho, não falta mais. O último resquício desse elefante branco que só servia como cabide de emprego para apaniguado político e venda de carta sindical, foi retirado o letreiro que identificado o monstrengo.

JABOTICABA

A bola da vez é a Justiça do Trabalho outra invenção do Brasil. Nos países desenvolvidos a Justiça é uma só. A Justiça Eleitoral onde o voto é facultativo não se faz necessário. Um país que quer ser moderno e primeiro mundista tem que se livrar desses penduricalhos.

Postar um comentário

0 Comentários