BRIGA DE FOICE: No Acre poderosos brigam pela boquinha no Sebrae, em RO entregaram de bandeja ao Daniel

O Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Acre (Sebrae/Acre) vai definir na próxima quarta-feira, dia 05, quem será o presidente do Colegiado pelos próximos quatro anos. As chapas foram todas inscritas até a sexta-feira, dia 30, e nomes conhecidos estão na lista tríplice dos candidatos.

ac24horas teve acesso, com exclusividade, à lista de candidatos registradas junto ao Conselho Deliberativo da instituição. Ao todo, 15 membros conselheiros devem votar, para escolher, além do presidente do Conselho, o próximo Diretor-Superintendente, e, ainda, os Diretores Financeiro-Administrativo e Técnico.
José Adriano Ribeiro da Silva, presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), derrotado nas urnas na tentativa de se tornar deputado federal pela Frente Popular, pessoa próxima do governador Sebastião Viana, quer ser o chefe do Conselho. O nome dele foi o segundo a ser registrado como candidato.
O outro nome é do empresário Rubenir Nogueira Guerra, dono do Barriga Verde, que também representa a Federação das Associações Comerciais do Acre (Federacre), uma das instituições que têm cadeira no Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro no Acre.
Ainda na lista, e surpreendendo os colegas de Conselho, o pecuarista Assuero Coca Veronez, presidente da Federação da Agricultura do Acre (FAEAC), resolveu se incluir como candidato, situação que causou desconforto entre os apoiadores dos nomes de Guerra e Adriano.
Uma fonte ao ac24horas, cujo nome será mantido em sigilo, ligada ao atual superintendente do Sebrae, Mâncio Lima Cordeiro, comentou que a eleição será uma das mais acirradas da história do Conselho, visto que nos últimos quatro anos, a Presidência do Colegiado, dirigida pelo empresário Jurilande Aragão, tomou novos rumos de atuação.
“A gente sabe que existe uma rivalidade grande. No início só se esperava dois, que era o Adriano, que perdeu a eleição e quer se manter com status, e do Guerra, que já havia dito a colegas que seria candidato. Além desses, tinha outros nomes, mas acabaram sindo da roda por falta de força”, diz a fonte.
O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae não tem direito a salário, mas pode indicar funcionários para o quadro da instituição, fazer viagens bancadas pelo Serviço e, ainda, receber vantajosas diárias para deslocamentos dentro ou fora do Brasil. O mandato será sempre de quatro anos.
ac24horas

Postar um comentário

0 Comentários