UBSs imploram: Hildon vem cuidar de nós, cumpre o que prometeu na campanha: vídeo


A primeira UBS fica na zona leste, na Rua Mane Garrincha, bairro socialista. A nova estrutura planejada para atender a população daquela região fica no mesmo pátio da antiga unidade da família, que está em funcionamento.

Mas o prédio novo, local apresenta sinais de abandono, a grade do portão de entrada esta caindo, e possui tábuas amarradas para fechar os buracos. A que ponto chegou? Milhões de reais em investimentos, que não estão sendo utilizados.

UNIDADE 2
Na Rua Talin no bairro Framboyan também tem mais uma unidade de saúde abandonada. O mato está por toda a parte. O prédio projetado para dar comodidade e bom atendimento para a população da zona leste, nunca foi utilizado.

Há mais de cinco anos está esquecida, sem portas, sem janelas, todas as bancadas de mármores foram furtadas. Parte do forro e fios elétricos também desapareceu, um exemplo claro de descaso com o dinheiro do povo. O local é usado apenas por dependentes químicos.


UNIDADE 3
A terceira unidade de saúde fica na Avenida Daniela no bairro três Marias, semelhante às outras duas unidades, o prédio nunca foi utilizado, passou até mesmo por uma reforma. 
Construída com parte do recurso de compensação das usinas, a obra apresentou um possível erro e foi embargada ainda na gestão do prefeito Roberto Sobrinho. E esta UBS também foi saqueada, dezenas de bancadas e pias de mármores foram furtadas e quebradas.

MÁ GESTÃO

As três unidades de saúde mostradas nessa reportagem mostram claramente um descaso por parte da atual gestão. Tanto dinheiro investido na saúde, mas de forma errada, dinheiro não é o problema para o gestor municipal, o próprio prefeito afirma claramente no site oficial da prefeitura. 


Em reunião com diretores das unidades de saúde de Porto Velho, no dia nove de janeiro desse ano, o prefeito disse que gasta com a saúde, mais de um milhão por dia.

O setor não enfrenta problemas com a falta de dinheiro e de estrutura, nem de pessoas capacitadas. Ele confessa que o que falta mesmo é planejamento e gerenciamento, ou seja, é má gestão mesmo.

Hildon disse ainda que iria investir na saúde em 2018, cerca de 300 milhões de reais. Atualmente o município investe 35%, o dobro do que manda a constituição, que é 18%.

O prefeito afirmou ainda que a prefeitura de Porto Velho, gasta muito, mas gasta mal. ”A saúde tem sido um dos ralos ao longo dos anos. Este é um setor que quando se administra mal, causa-se muito mal a população” e finaliza dizendo é hora de parar e reavaliar o que esta acontecendo.

O Rondoniaovivo procurou a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) para falar sobre as unidades abandonadas, mas ficamos travados na morosidade e burocracia da assessoria de comunicação do poder executivo e não conseguimos falar com a secretaria municipal de saúde, Eliana Pasini.


Rondoniaovivo

Postar um comentário

0 Comentários